29/04/2017

119º Resenha: Vigiar e Punir

Livro: Vigiar e Punir
Escritor: Michel Foucaul 
Páginas: 302
Editora: Vozes
    Sinopse: "É um estudo científico, documentado, sobre a evolução histórica da legislação penal e respectivos métodos coercitivos e punitivos adotados pelo poder público na repressão da delinquência. Métodos que vão da violência física até instituições correcionais. Esta edição traz também uma nova capa.


  Olá pessoal, tudo bem com vocês? Espero que sim. Hoje vou apresentar a vocês o livro “Vigiar e Punir” do escritor Michel Foucault que foi lançado pela nossa parceira a Editora Vozes.


  O livro Vigiar e Punir – nascimento da prisão é dividido em quatro partes e mostra a evolução das práticas punitivas no decorrer dos séculos, inicialmente o escritor descreve a as punições suplício, onde os acusados tinham seu corpo exposto a uma execração pública, verificando-se, então, uma violência não só física, mas, também psicológica, em todos os partícipes do ato de penalização que era um verdadeiro espetáculo de horror. O livro mostra, ainda, a relação que existe entre o poder e esses diversos saberes, compreendido entre juízes, advogados, médicos, entre outros.


  Com todos esses problemas e a pressão de alguns reformadores da época no fim do século XVIII e começo do XIX, o espetáculo suplício vai se extinguindo e aos poucos aquelas cenas de horrores vão acabando e as práticas punitivas se tornam mais “humanistas” onde à dor e o sofrimento físico não são mais elementos construtivos da pena. 

  Na terceira parte o autor mostra a necessidade de disciplina, mas ela era bem extrema e tudo era milimetricamente planejado e executado, um regime espartano, obrigações e proibições regiam o sistema. Tudo dependia de um bom comportamento que levava a progressão da pena e, dependendo de alguns casos até mesmo o perdão.  A sanção vira norma, castigar, punir, passa a ter função disciplinar, sua intenção era reduzir os desvios, faz o indivíduo progredir dizia La Salle. Gratificação e sanção, ambos andavam juntos.


  A última parte do livro fala sobre o sistema prisional, que foi vista como a única forma de se ter domínio de vigiar e punir os indivíduos, pois os juízes cada vez mais encontravam dificuldade em julgar, punir, medir e conhecer o certo e o errado, e para eles a melhor solução foi à prisão. 

  Este é o primeiro livro que leio do autor e foi uma grata surpresa, uma leitura muito agradável e uma ótima oportunidade para conhecer um autor que possui um excelente potencial. Posso dizer que amei a edição do livro, esta linda, a diagramação e o cuidado que a Editora Vozes teve com o livro foi maravilhoso e está de parabéns.

  O livro tem uma narrativa muito boa de fácil compreensão, gostei muito do livro e mega indico para todos os amantes do Direito a leitura dessa obra maravilhosa.
  
  Gostaria de agradecer a Editora Vozes por enviar essa obra maravilhosa e por me proporcionar mais uma leitura tão agradável na minha saga literária.   
   
  Espero principalmente que vocês tenham gostado da Resenha e que lhe tenham interessado á ler um dia livro “Vigiar e Punir – nascimento da prisão”.



→Segue abaixo a rede social da Editora:

→ Instagram: https://www.instagram.com/editoravozes/
→ Site: http://www.universovozes.com.br/2013

4 comentários:

  1. Respostas
    1. Vale muito apena a leitura desse livro, muito bom mesmo.

      Excluir
  2. Hey, que interessante, não é minha área, mas pela sua resenha, seria possivel falar que de alguma forma é uma crítica ao sistema prisional? Quando fala se "A justiça não da conta de tantos julgamentos e a prisão foi a melhor forma para a espera"
    Eu busco a crítica em tudo quanto é livro. hehe

    www.livroseoutrostrecos.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi Bia,
    O livro fala um pouco sobre a história prisional desde o começo.
    O livro é bem interessante e mesmo você não sendo da área, acho q vc iria gostar da leitura.

    Beijos :*

    ResponderExcluir